Gosto de pensar como seria a minha vida se tivesse feito uma única coisa diferente. Talvez toda a gente pense nisso. Acho um óptimo exercício. Se eu naquele dia não resolvesse ir a Évora, as coisas não teriam acabado como acabaram. Não teríamos dançado Frank Sinatra à noite, numa das ruas paralelas à Praça do Giraldo. Nem me terias mostrado os teus princípios dizendo 'ela é minha amiga, vou ter que ficar um pouco com ela'.
Realmente, durante toda a nossa vida, vão acontecendo coisas inacreditáveis, que gostaríamos de ter evitado. Custa-me dizer isto, mas se calhar conhecer-te foi um erro. Teria sido tudo tão mais fácil se não tivesse acontecido. O mais insólito é que eu gostava muito das nossas conversas. Gostava mesmo! E sinto muito a falta delas.
Mas a partir do momento em que eu percebi que não era assim tão importante na tua vida, fiquei verdadeiramente infeliz. Por isso é que gostava de ter apagado aquele final de tarde chuvoso e escuro debaixo dos arcos daquela praça inigualável, onde levantaste 20 euros só com uma mão. Porque a outra estava no bolso do meu casaco.

4 comentários:

Meghy disse...

Acabei de ler... "É muitas vezes no erro que coisas mágicas acontecem", David Fonseca...
É p´ra semana que jantamos?
Bj*

Leonor disse...

Se calhar foi no meu blog :p

M disse...

Gosto desse tipo de exercícios :)

Meghy disse...

Foi mesmo leonor... :)

html code
Daily Specials